POLÍTICA DO NÚCLEO

Este espaço foi criado e autorizado pela Sociedade de Veteranos de 1932, sede em São Paulo ( veja em Matérias Públicadas seu estatuto). Como um núcleo de pesquisas tem por objetivo investigar e trazer à memória de toda a sociedade sãopedrense a história da Revolução Constitucionalista de 1932, seus objetivos e os resultados. Por São Pedro 36 foram alistados, sendo 27 natos, inclusive meu pai.Dentre os enviados um faleceu em combate ao socorrer um amigo baleado e por esse ato de bravura é o expoente deste grupo de heróis: José Augusto Frota Escobar. Cerca de 16 colaboradores locais na retaguarda também estiveram ligados ao movimento. Todos devem ser devidamente honrados meste espaço, a partir das suas biografias que devem ser preparadas por suas famílias . São heróis sao-pedrenses. Insistimos que haja rigor com a verdade dos fatos, devendo ser relatados aqueles que tenham alguma possibilidade de serem comprovados por relato próprio em diário, carta, correios de guerra, livros e provas documentais. Evite relatar fatos não comprováveis, para não entrar em choque com o relato das biografias dos demais combatentes e colocar o relato em risco. A responsabilidade das informações será plenamente atribuída ao seu autor cujo nome deverá acompanhar a publicação neste espaço.

Contato:

João Francisco de Aguiar
Presidente
-e-mail: jfaguiar@uol.com.br








sábado, 26 de outubro de 2013

VISITA AS TRINCHEIRAS DE CUNHA (SPAULO) EM 25/10/13

A Cidade de Cunha fica próxima Parati, mas sobre a Serra, acha-se encravada em meio a uma série devales e montes, um local complicado onde as tropas de Getúlio Vargas (legalistas) que haviam chegado pelo mar tiveram acesso a um monte, ali ocorrem fortes enfrentamentos, os legalistas de cima e os paulistas tentando tomar o monte. Visitamos sobre o monte duas trincheiras totalmente cobertas pelo mato, no sítio da profa Edurarda, ela mesmo sociólogae também amante desta parte relevante da nossa história.Em nossa companhia o célebre historiador de Cunha e diretor do Museu, João Veloso, da nossa parte além de mim, o Capitão Anderson do Corpo de Bombeiros da região e o amigo e fotógrafo Aristides. Ccomo já me referi no alto desse monte os legalistas armaram metralhadoras e disparavam para baixo contra os paulistas que teimavam em subir. os combates foram intensos.Prova disso é que ainda hoje o local acha-se repleto de capsulas de balas.No ano passado ao arar parte do sítio foram retirados 5 kgs desse material. Mais surpreendente é o que conta D. Eduarda, uma análise química do local revelou a presença de material humano em meio à terra, provavelmente dos tomados na batalha.Há 6 anos atraz acharam um rifle ou fusil antigo dentro de um córrego na região. Meu pai, segundo carta de próprio punho combateu pela primeira vez em Areias, Município de Silveiras, perto dali.Um local impressionante.





 1. CAPSULAS DE BALAS RECOLHIDAS NO LOCAL : há pouco tempo atraz ao arar um pedaço de terra para plantio cerca de 6 kg de capsulas e balas não detonadas foram encontradas. O local está repleto de restos deixados pelos combatentes: Ex. há 6 anos um rifle foi encontrado em um rio perto dali b) Em outra oportunidade um pequeno incêndio irrompeu na mata e houve uma explosão, provavelmente uma granada deixada por combatentes. a figura mostra capsulas de balas detonadas cedidas pela D. Eduarda, proprietária do sítio. Área pouco explorada.




 Visitando as trincheiras ( eu, prof Joao Veloso, Cap Anderson Aires e Aristides)



                                 
                                             
    Vista do sítio da D. Eduarda ( socióloga). O sítio localiza-se em um    platô, estrategicamente escolhido para abrigar os legalistas, que resistiam ao ataque de baixo dos paulistas com suas metralhadoras. No local ainda podem ser encontradas capsulas de balas ( em um dos anos recentes uma área ali foi lavrada para plantio e foram encontrados alguns kgs de cápsulas de balas detonadas.O curioso é que foi necessário um exame geológico  do solo para efeito de tomada de crédito rural, que vetou o negócio por haver vestígio de material humano, ainda das mortes de 1932, provavelmente.

Vista da casa ao chegar

                                                    Entrando no mato, botas são necessárias
                                                                         

                                                          Local de uma trincheira no alto do morro

São valas compridas
Valas no meio do mato
                                                         

                                        Mais trincheiras dos legalistas de 1932

                                           A direita a prfa Eduarda, proprietária do sítio, já na despedida,
                                         ambiente muito agradável.
                                       No caminho de volta paramos no monumento a a Paulo Virginio, Herói de Cunha     Placa cedida pela Sociedade de veteranos de 1932. Este cidadão, sitiante, foi fuzilado pelos federais em 1932 por resistir a divulgar o paradeiro dos paulistas.

                                                   Monumento ao Herói de Cunha Paulo Virgilio                                                       
                                                             Placa Comemorativa
                       Museu de Cunha, cujo Diretor é o hstoriador João Veloso que nos acompanhou.
                                   
                                                  Objetos de 1932 no museu
                                                 Artigos de 1932





OS EX-COMBATENTES DE 1932 SÃO HERÓIS NACIONAIS

POR ANALOGIA TODOS OS EX COMBATENTES DE 1932 PASSARAM A SER CONSIDERADOS HERÓIS NACIONAIS. ( veja a lei abaixo)

LEI Nº 12.430, DE 20 DE JUNHO DE 2011.



Inscreve os nomes de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC), heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932, no Livro dos Heróis da Pátria.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o Serão inscritos no Livro dos Heróis da Pátria, que se encontra no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília, os nomes de Mário Martins de Almeida, Euclydes Bueno Miragaia, Dráusio Marcondes de Souza e Antônio Américo de Camargo Andrade, historicamente conhecidos como Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC), heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932.

Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 20 de junho de 2011; 190o da Independência e 123o da República.

DILMA ROUSSEFF
Vitor Paulo Ortiz Bittencourt

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

BIOGRAFIA DE SEBASTIÃO RODRIGUES DA SILVA

Nasceu em Sta Maria da Serra, aos 19/11/1914, onde morou até os quatro anos de idade.Mudou-se para Piracicaba com o falecimento dos seus pais, levado pela família Passarelli. Em 1932 alistou-se e participou com empenho dos combates, retornando no final da revolução a Piracicaba, onde casou-se com Francisca de Almeida Lima em 1936. O casal teve cinco filhos: José Maria (fal.), Ricarda ("Uta"); Maria do Carmo ("Ia"), Sueli e Antonio Pedro.Mudando-se depois para São Pedro  trabalhou como garçom para D.Mariquinha, foi taxista e, durante longos anos dedicou-se ao Grupo Escolar Gustavo Teixeira, onde foi porteiro e servente. Nessa época eu o conheci, o GT tinha tres serventes e eu fazia o curso primário, de 6 a 10 anos de idade (  início em 1957). Ele era um homem de bom coração, muito atencioso com a gurizada que a todo tempo lhe pediam para afiar a ponta do lápis, algo que ele fazia com muito carinho e paciência.Assim passou a ser carinhosamente conhecido como "Tião do Grupo".Nos dias de festa era ele quem trazia as bandeiras dobradas para serem hasteadas, com o respeito e patriotismo que aprendera nos combates na Revolução de 1932. A foto abaixo mostra a seriedade de "Tião do Grupo" ao hastear a bandeira de São Pedro.   
 Ao deixar São Pedro, em 1957, com os filhos já crescidos, mudou-se para SantoAndré (SP) onde trabalhou como motorista de um Delegado de Ensino, onde permaneceu até se aposentar, época em que retornou a São Pedro. Veio a falecer no dia 01 de Julho de 2003, aos 88 anos de idade.Deixou um legado de amor, exemplo, civismo e solidariedade. Na foto abaixo ele foi condecorado.

Na foto abaixo do lado esquerdo o ex-combatente Sebastião Rodrigues da Silva, o colaborador Bento de Almeida Campos, o ex-combatente Paulo Bontorim (fardado)  o colaborador Amadeu Botiglieri.
 Do lado esquerdo Sebastião Dias Rodrigues, depois o colaborador em 1932, os colaboradores de 1932 Amadeu Botiglieri e Bento de Almeida Campos e de farda o ex combatente Paulo Bontorim.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

COMEMORAÇÃO DOS 81 ANOS DO FIM DAS HOSTILIDADES

A seguir algumas fotos da bela cerimônia ocorrida hoje pela manhã no Quartel Geral da Polícia Militar de São Paulo, quando o Coronel Ventura  e demais membros da diretoria da Sociedade de Veteranos de 1932 condecoraram militares das três armas e civis que têm contribuído com a causa constitucionalista. Todos receberam a Medalha Governador Pedro de Toledo.Vale a pena lembrar que o Governador Pedro de Toledo foi de início nomeado como interventor em São Paulo ( na prática o Governador). Tão logo inteirou-se da situação e da demanda de São Paulo passou a ser um constitucionalista também, tanto que no  final de setembro ele pertencia ao grupo que resistia a fazer qualquer acôrdo desonroso com o ditador Getúlio Vargas.  As negociações do cessar foto enfim  finalizaram-se em 02/10/1932, motivo pelo qual hoje foi comemorado os 81 anos desta data de alta relevância na história do povo paulista. As fotos foram realizadas pelo incansável, entusiasta de 1932 e amigo Antonio Carlos Aristides

Nesta foto estou ao lado do ex-comandante do Exército Constitucionalista, Sr. Amado Rubio
 O Coronel Mário Fonseca traz uma palavra aos presentes a respeito da importância da data, do lado direito o atual comandante do exército constitucionalista, à direita o Comandante do Exército Constitucionalista, Willian Mascarenhas.Worth.



                                    Os homenageados prestam continência ao pavilhão nacional
 Os homenageados  recebem a comenda Governador Pedro de Toledo, pelas mãos do Cel Ventura e demais membros da diretoria da Sociedade de Veteranos de 1932
                                                  Todos perfilados entoando o hino nacional brasileiro