POLÍTICA DO NÚCLEO

Este espaço foi criado e autorizado pela Sociedade de Veteranos de 1932, sede em São Paulo ( veja em Matérias Públicadas seu estatuto). Como um núcleo de pesquisas tem por objetivo investigar e trazer à memória de toda a sociedade sãopedrense a história da Revolução Constitucionalista de 1932, seus objetivos e os resultados. Por São Pedro 36 foram alistados, sendo 27 natos, inclusive meu pai.Dentre os enviados um faleceu em combate ao socorrer um amigo baleado e por esse ato de bravura é o expoente deste grupo de heróis: José Augusto Frota Escobar. Cerca de 16 colaboradores locais na retaguarda também estiveram ligados ao movimento. Todos devem ser devidamente honrados meste espaço, a partir das suas biografias que devem ser preparadas por suas famílias . São heróis sao-pedrenses. Insistimos que haja rigor com a verdade dos fatos, devendo ser relatados aqueles que tenham alguma possibilidade de serem comprovados por relato próprio em diário, carta, correios de guerra, livros e provas documentais. Evite relatar fatos não comprováveis, para não entrar em choque com o relato das biografias dos demais combatentes e colocar o relato em risco. A responsabilidade das informações será plenamente atribuída ao seu autor cujo nome deverá acompanhar a publicação neste espaço.

Contato:

João Francisco de Aguiar
Presidente
-e-mail: jfaguiar@uol.com.br








domingo, 28 de julho de 2013

É NECESSÁRIO RESGATAR OS VALORES CONQUISTADOS EM 1932

Para acessar este artigo de minha autoria exaltando a Revolução Constitucionalista de 1932 acesse o link abaixo ( publicado no Jornal A TRIBUNA DE SÃOP PEDRO em 27/07/2013).
.
http://resgatando1932.blogspot.com.br/

sexta-feira, 26 de julho de 2013

PALAVRA DO CEL MÁRIO F VENTURA NO PROGRAMA TV+: A REVOLUÇÃO DE 1932 NOS DIAS DE HOJE

Ver a íntegra da entrevista no link abaixo. O Cel Mário da Fonseca Ventura, presidente da Sociedade de Veteranos de 1932 fala sobre os impactos da Revoução de 1932 nos dias de hoje

quinta-feira, 25 de julho de 2013

KHALIR FARHAT: HERÓI E EX-COMBATENTE DA REVOLUÇÃO DE 1932

(Iinfomações dadas por José Rahal Fashat, filho de Francisco R. Farhat, sobrinho de Khalir

Khalir Farhat  nasceu em Sta Maria da Serra em ..................e  faleceu em São Pedro em ...
Teve por pais Abdala Rahal  Farhat e Carolina Bortolin Farhat. Seus pais tiveram 12 filhos, entre eles Khalir, Francisco, Benedito, Ibrahim, Tameme, Nassime e Nezinha.
A família sempre teve alguma facilidade no manejo de armas o que conribuiu para Khalir ser escolhido. É sabido que de cada dois a tres voluntários somente um era escolhido, justamente pela aptidão para o combate. Na Revolução de  1932 logo destacou-se e pouco tempo depois já portava um tipo de sub-metalhadora. As informações são de que apontam para um combatente de destaque no "front", pois ele foi destacado para alguns combates bem difíceis. Relata José Farhat que ( segundo seu tio lhe relatava) uma das piores experiências foi na Serra da Serra da Mantiqueira ; o grupo (numeroso) ao qual Khalir pertencia entrou em uma batalha fontal contra os federais (legalistas)  e, ao cair da noite, a grande maioria dos seus já havia perecido. Poucos, inclusive ele, foram salvos pelo cair da noite, e acabaram por se evadir no mato.

Voltando à sua vida normal, após o término da revolução, no início de Outubro de 1932, Khalir torna-se um motorista de ônibus da Cia Municipal de Transportes Coletivos em São Paulo - CMTC.
A seguir uma foto mostrando Khalir pronto para dirigir o seu onibus em São Paulo.

Nova tomada do onibus de Khalir.

Por essa época  Khalir casa-se e tem dois filhos.Finalmente muda-se para  São Pedro onde faleceu e está enterrado  cemitério local  no jazigo da família.

terça-feira, 23 de julho de 2013

COMEMORAÇÕES DO 81 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA EM 09 DE JULHO DE 2013

No último 09 de Julho de 2013 houve uma histórica  comemoração dos 81 anos da Revolução Constitucionalista de 1932  no Parque Ibirapuera, a qual teve dois momentos distintos e igualmente de alta relevância cívica: em primeiro lugar o tradicional desfile ( fotos agrupadas em outra chamada nesta página). Esteve presente o Exmo Governador do Estado de São Paulo, Dr. Geraldo Alckmin, na foto com o Presidente da Sociedade de Veteranos de 1932, Coronel Mário Fonseca Ventura.O Governador houve por  bematender aos pedidos da sociedade de veteranos no sentido da restauração das Câmaras Internas do Obelisco onde, antes desta data, estavam depositados os restos mortais de 801 dos nossos heróis combatentes de 1932. Pela sua cooperação sempre presente o Governador recebe o Colar da Vitória das mãos do Coronel Mário Fonseca Ventura..


O segundo e marcante momento dessa histórica e única comemoração deu-se ao final do desfile, na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, com a realização de uma cerimônia de concessão da Medalha da Constituição, a mais alta honraria dessa casa. Esta cerimônia foi toda concebida e organizada sob a direção do Major Olímpio (PMSP), Deputado Estadual e Coronel Mário Fonseca Ventura (PMSP), Presidente da Sociedade dos Veteranos de 1932.Foram homenageados políticos, militares das três armas e civis de destaque no cenário nacional e os Presidentes de Núcleos ( de Base e Correspondência) da  Sociedade dos Veteranos de 1932.

Foto do organizador e entusiasta Deputado Estadual Major Olimpio  pronto para o início da cerimônia

Nesta foto o Cel Mário Fonseca Ventura, Presidente da Sociedade de Veteranos de 1932 traz sua palavra.

A Medalha da Constituição, segundo o Major Olímpio (PMSP) Deputado Estadual (SP), é a maior honraria  tradicionalmente  concedida  pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

A Medalha da Constituição foi criada pela resolução de numero 330 de 25 de Junho de 1962 nos seguintes termos:

A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo resolve:
 

Artigo 1° - Fica instituída a medalha denominada “Medalha da Constituição”, com a finalidade de condecorar todos aqueles que tomaram parte, tanto na linha de frente como na retaguarda, na Revolução de 9 de julho de 1932, ao lado do Exército Constitucionalista.
Artigo 2° - A “Medalha da Constituição” será conferida, a partir de 1962, a todos os participantes da Revolução Constitucionalista que lutaram ao lado de São Paulo, mediante as seguintes condições:
 

    a) terem participado do Movimento Constitucionalista deflagrado pelo Governo e povo paulista em 9 de julho de 1932, na condição de militar ou civil, sem distinção de graduação ou posto, tanto na linha de frente como na retaguarda, desde que provada, por documentos hábeis, devidamente legalizados, sua participação no movimento para a reconstitucionalização do Brasil;
    b) terem prestado serviços, como escoteiros, tanto nos hospitais de sangue na linha de frente e da retaguarda, como nos demais serviços de assistência, quer nos departamentos militares, quer nos civis.

Artigo 3° - A “Medalha da Constituição” será concedida por proposta dos Comandantes Militares do Exército Constitucionalista, dos membros componentes do Governo aclamado pelo povo paulista em 10 de julho de 1932, ou dos dirigentes civis dos vários serviços do M.M.D.C.


O Ato solene ocorreu na Assembléia Legislativa do Estado  de São Paulo em 09/07/2013 conforme notícia veiculada pela imprensa da própria assembléia. Juntamente com pessoas de destaques que têm dado seu apoio aos ideais  democráticos de 1932, os presidentes de núcleos ( de base e de correspondência), inclusive nós, foram todos agraciados com a Medalha da Constituição. Mais detalhes no link abaixo.
http://www.al.sp.gov.br/geral/noticia/noticia.jsp?id=336615

MMDC de Aguardando o momento de condecoração, nesta foto, ao centro eu ( Presidente do Núcleo MMDC de São Pedro) e Maria Helena de Toledo ( Presidente do Núcleo MMDC de Jaguariúna).
Presidentes de núcleos já condecorados

Nossas fotos momentos após o recebimento da medalha


Perfilados nesta foto estão 8 dos 19 Presidentes de Núcleos MMDC de São Paulo e interior.; 


sábado, 13 de julho de 2013

NUCLEOS RECEBEM MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO NA ALESP 2013




Todos os presidentes de núcleos ( uns 30 no total), assim como eu, foram  convocados a estarem em São Paulo em 09/07/2013,   para serem honrados com a Medalha da Constituição na Assembléia Legislativa. A seguir algumas fotos (selecionadas) da tradicional, bela e concorrida comemoração realizada na sede da assembléia, no Parque da Ibirapuera.

                                                     Presenciando o desfile
.
Governador Geraldo Alckmin ( Estado de São Paulo) recebe o Colar da Vitória do Cel Mário F.Ventura, Presidente da Sociedade dos Veteranos de 1932 em 09/07/2013
O cortejo dirige-se ao Mausoleo, debaixo do Obelisco, onde até esta data eram abrigadas as cinzas de 801 combatentes  e heróis. Nesta cerimonia outros combatentes ali tiveram a sua imoortalização.Os heróis saopedrenses  tb poderiam ter suas cinzas ali depositadas. Havendo interesse façam contato  conosco. 

O Sr. Amado ( esquerda) é substituído no Comando do Exército Constitucionalista plo Sr. Willian Worth


O desfile tem seu início ( algumas fotos selecionadas))




Há cerca de 400 fotos na página do facebook do nosso amigo Luiz Carlos Aristides.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

HERÓI SAOPEDRENSE MORTO NA BATALHA: JOSE AUGUSTO FROTA ESCOBAR

JOSÉ AUGUSTO FROTA ESCOBAR
José Augusto Frota Escobar era filho do Sr. Mário Teixeira de Escobar e da Sra. Auta Frota Escobar e irmão de Irineu, Maria de Lourdes, Mario, Antonio ( engenheiro agrônomo no Instituto Agronômico de Campinas) e Edgar Frota Escobar. Nasceu em São Pedro, estado de São Paulo, a 26 de junho de 1909. Era primo de  Maria Emília Teixeira Fernandes, morou na casa dos tios para estudar. Formado pela Escola de Farmácia e Odontologia de São Paulo, em 1930, exercia sua profissão em Garça, onde adquirira uma farmácia.
José Augusto Frota Escobar deu uma prova magnífica de desprendimento. Oficial farmacêutico adido ao 6º R.I.  desde os primeiros dias esteve a postos na frente Sul. A 15 de agosto, em Bury, soube que seu amigo Silvio Cervelini estava ferido em campo onde se travara a luta e onde as forças ditatoriais já começavam a pôr os pés. Era perigosa qualquer incursão naquele rumo. Ele, porém, fiel à sua amizade, foi procurar o amigo ferido, quiçá morto. Foi infeliz. Encontrou apenas uma bala inimiga que o prostou e que, finalmente, levou-o ao mesmo hospital de sangue da coluna adversária. No dia seguinte, 16, a morte juntou-os, levando-os ao mesmo tempo. Sepultado em Bury, a cidade de São Paulo reclamou os seus despojos e hoje os tem no cemitério local.Sua morte em combate, durante a Revolução Constitucionalista de 1932, foi uma tragédia familiar que se somou à morte, até hoje não esclarecida, de seu pai Mário Teixeira de Escobar
Em São Pedro o seu nome foi com justiça atribuído ao Nucleo MMDC, dadas as condições da sua morte na batalha é o herói por excelência da cidade.

Os dados biográficos acima foram fornecidos pela Maria do Carmo Mendez de Andrade e pela Maria Stella Teixeira Fernandes Dutra. 

domingo, 7 de julho de 2013

HERÓIS SAOPEDRENSES E COLABORADORES NOS 50 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932

Estas fotos foram tiradas no dia da comemoração dos 50 anos de 1932 e nela podem ser identificados dois entre os 36  ex-combatentes por São Pedro e 2 entre os mais de 10 colaboradores  de retaguarda ( serviços de administração, controle de materiais, enfermaria, comunicações, etc) em São Pedro

Heróis sao-pedrenses de 1932: do lado esquerdo o ex-combatente Sebastião Rodrigues da Silva, o colaborador Amadeu Botiglieri, o colaborador Bento Almeida Campos e o ex-combatente Paulo Bontorim (fardado).
Na foto abaixo do lado esquerdo o ex-combatente Sebastião Rodrigues da Silva, o colaborador Bento de Almeida Campos, o ex-combatente Paulo Bontorim (fardado)  o colaborador Amadeu Botiglieri.