POLÍTICA DO NÚCLEO

Este espaço foi criado e autorizado pela Sociedade de Veteranos de 1932, sede em São Paulo ( veja em Matérias Públicadas seu estatuto). Como um núcleo de pesquisas tem por objetivo investigar e trazer à memória de toda a sociedade sãopedrense a história da Revolução Constitucionalista de 1932, seus objetivos e os resultados. Por São Pedro 36 foram alistados, sendo 27 natos, inclusive meu pai.Dentre os enviados um faleceu em combate ao socorrer um amigo baleado e por esse ato de bravura é o expoente deste grupo de heróis: José Augusto Frota Escobar. Cerca de 16 colaboradores locais na retaguarda também estiveram ligados ao movimento. Todos devem ser devidamente honrados meste espaço, a partir das suas biografias que devem ser preparadas por suas famílias . São heróis sao-pedrenses. Insistimos que haja rigor com a verdade dos fatos, devendo ser relatados aqueles que tenham alguma possibilidade de serem comprovados por relato próprio em diário, carta, correios de guerra, livros e provas documentais. Evite relatar fatos não comprováveis, para não entrar em choque com o relato das biografias dos demais combatentes e colocar o relato em risco. A responsabilidade das informações será plenamente atribuída ao seu autor cujo nome deverá acompanhar a publicação neste espaço.

Contato:

João Francisco de Aguiar
Presidente
-e-mail: jfaguiar@uol.com.br








terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Matérias publicadas no blog

SUMÁRIO

1-   Criacao  do Núcleo de Correspondência da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC  de Sao Pedro em 15-08/2012
2-   Responsabilidade-pelo-nc-de-sao-pedro
3-   Diretoria da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC (Sao Paulo)
4-   Procedimentos-para-associacao-sociedade
5-   Campanha-dos-500-associados-novos-para a Sociedade dos Veteranos de 1932-MMDC
6-   Os objetivos do nucleo de Correspondência
7-   Videos históricos relatam 1932 (links)
8-   Combatentes e colaboradores de 1932 por São Pedro
9 -  O Patrono José Augusto Frota Escobar, um herói com louvor em 1932
10- Joaquim-Norberto-de-Toledo-Junior-combatente-de-32
11- Sebastiao de Azevedo Aguiar-combatente-de-32 
12- A Revolucao Consttucionalista de 32 em.São Pedro
13- "Curiosidades sobre 1932"
14- A Revolução Constitucionalista de 1932 ( breve relato versão oficial)
15 - Fotos por ocasião da Cerimônia de Comemoração a Revolução de 1932 ( Piracicaba, 09/07/2012)
16- O-legado-dos-herois-de-1932-jp-09072012
17- Voluntários de 1932: o Brasil tem seus heróis - JP em 09/07/2011
18- Videos-historicos-relatam-revolucao-de-32
19- O-ncspsp-por-unanimidade-indica-seu-patrono
20 -Criação da Universidade de São Paulo em 1934
21 -Carta de desagravo pelos ideais de 1932
22 -Video ilustrativo sobre a Revolução Constitucionalista de 1932
23 -Modelo de Honraria em Ladrilho para o túmulo do herói de 1932
24- Diploma de Honra ao Mérito José Augusto Frota Escobar
25 -A Revolução de 1932 por um jornalista e professor
26. Museus paulistas sobre a Revolução de 1932
27. Cerimonia de comemoração do armistício da Revolução de1932
28-Foto Histórica com os ex-combatentes de 1932 em Piracicaba
29  Comemoração dos 80 anos da Revolução de 1932 (Ibirapuera - SP)
30  Marcas-do-passadoa-revolucao-de-1932-e Sao Pedro.html
31  A Epopéia de Gustavo Teixeira (poesia)
32  Nove de Julho, de Arlindo Barbosa  (poesia)
33  Bravos Paulistas Revolução de 1932 ( 4 videos explicativos)
34  Nota-de-falecimento: Hernani Donato historiador e escritor
35  Voce-quer-entender-revolucao-de-1932 ? ( assista os videos a seguir)
36  Colar-da-Vitoria criado pelo decreto 58.071 de 24/05/2012 pelo Gov Geraldo Alckimin 
37  Profa. Ondina-Mendes-Parreira-biografia
38  Movimento-Democratico-em-Sao-Pedro
39 Manual-de-campanha-do-soldado constitucionalista
40  Medalhas-concedidas-pela-sociedade-de Veteranos de 1932 - MMDC
41  Biografia do combatente de 1932 , o soldado  e aviador  Irineu Escobar
42 Inauguracao-da-praca-gino-strufaldi
43 cerimonia-conjunta-piracicaba-sao-pedro
44 Ata de Reunião Extrardinaria da Sociedade de Veteranos de 1932

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Profa.Ondina Mendes Parreira (biografia)

Ondina Mendes Parreira foi uma importante colaboradora em São Pedro durante a Revolução de 1932, seu papel tem sido destacado pelos que a conheceram, por isso pedi ao seu único filho e meu amigo João Paulo Mendes Parreira para editar a sua biografia que segue abaixo.

Biografia de Ondina Mendes (1910 a 2000).


Ondina Mendes de Toledo nasceu em São Pedro no dia 02 de Dezembro de 1910 e era filha de Aureliano Mendes Junior e Marietta de Toledo Mendes.
Exerceu a profissão de professora primária da Secretaria de Educação do Estado de são Paulo.
Formou-se na Escola Normal de Piracicaba na turma de 1932, ano da Revolução Constitucionalista, tendo participado do MMDC ( Movimento de Apoio à Causa da Revolução). Engajou-se no movimento e desejava ir à frente, mas foi convencida a ficar  como voluntária e coordenadora para arrecadação de suprimentos para as tropas e suas famílias em São Pedro.Nessa ocasião participou, em São Pedro, de um comício, na praça principal ( antigo coreto), onde os líderes locais procuravam esclarecer ao povo presente  os motivos  da Revolução. A então estudante e normalista Ondina surpreendeu a todos com um dicurso inflamado de apoio à causa, o que emocionou os presentes e e levou muitos a se alistarem.
Pela sua marcante participação na Revolução Constitucionalista de 1932, foi agraciada com as Medalhas do Cinquentenário e da Constituição pelos serviços prestados. Este fato foi corroborado pelo Acervo Histórico da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, conforme Registro nro 2467/88, Processo nro 2467/88 e REgistro nro 2468/88 e Processo 2468/88 de 08/04/1988, respectivamente Cinquentenário e Constituição.
Aposentou-se em 1964, quando lecionava no Grupo Ecolar "Gustavo Teixeira", de São Pedro, para onde havia se transferido em  1956. Também foi professora nos municípios de Analândia e Ibitinga, no período de 1950 a 1955. Durante o período da Segunda Grande Guerra Mundial chegou a lecionar em uma fazenda de colonos japoneses no interior do Estado de São Paulo, nas décadas de 30 e 40.  
Foi casada com o farmacêutico Eurico Ferraz da Frota, de 1942 a 1946, tendo ficado viúva, sem filhos. A seguir casou-se, em Janeiro de 1950, com o tamb´pem farmacêutico João Martins Ferreira Junior, então prefeito de Analândia, quando passou a assinar Ondina Mendes Parreira, nome que conservou até o seu falecimento. ficou novamente viúva em 1986. Teve um único filho, João Paulo Mendes Parreira, nascido em Setembro de 1950. Nos anos 60, esteve ligada à Legião Brasileira de Assistência - LBA, agência de São Pedro, na qual ocupou o cargo  de Presidente; foi fundadora, junto com Dirceu Vaz de Toledo, da Casa da Criança de São Pedro, onde foi Diretora durante vários anos.
Essas  atividades sociais testemunham seu elevado espírito filantrópico e patriótico.
Nos anos 70 residiu em São Paulo, Capital, havendo retornado posteriormente para São Pedro. Profundamente religiosa, pertenceu à Congregação do Sagrado Coração de Maria, ligaa à Igreja Católica.     
Faleceu em São Pedro em 12 de Junho de 2000.Foi homenageada, postumamente, pela Prefeitura de São Pedro que colocou seu nome em uma das escolas municipais, a "Escola Ondina Mendes Parreira", no bairro Nova São Pedro.
Autor:   João Paulo Mendes Parreira, Dezembro de 2012.

 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

"COLAR DA VITÓRIA"


Fiquei muito honrado em ter sido distinguido, em companhia dos demais Presidentes de núcleos de correspondência,  com o "Colar da Vitória", uma honraria criada para celebrar os "80 anos da Revolução de 1932". Vamos continuar lutando pelos ideais democráticos de 1932, seguindo os passos de nossos pais e familiares que um dia colocaram suas vidas em risco por esta causa, que é de todo o povo brasileiro.

Na foto o Coronel Mário Ventura e os Presidentes de Núcleos de Correspondência MMDC 1932.
Como responsável pelo núcleo de São Pedro eu tb fui agraciado 

Como responsável pelo núcleo de Jaguáriuna Maria Helena de Toledo foi agraciada 
                                 Almoço no clube dos Oficiais da Polícia Militar.
                             Coronel Mário Ventura discursa abrindo a cerimônia
Aproveito para dizer que estas honrarias ( inclusive medalhas e diplomas de honra ao mérito) podem  ser concedidas a todo aquele que se dispuser a investir parte do seu tempo nesta empreitada. Seu valor será reconhecido pela sociedade.

MARIO FONSECA VENTURA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO





Decreto nº 58.071, de 24 de maio de 2012


Dispõe sobre a oficialização do Colar da Vitória, evocativo dos 80 (oitenta) anos da Revolução Constitucionalista


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais e à vista da manifestação do Conselho Estadual de Honrarias e Mérito, Decreta: Artigo 1º - Fica oficializado, sem ônus para os cofres públicos, o Colar da Vitória, evocativo dos 80 (oitenta) anos da Revolução Constitucionalista, instituído pela Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, nos termos do regulamento que acompanha este decreto. Artigo 2º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação. Palácio dos Bandeirantes, 24 de maio de 2012 GERALDO ALCKMIN

REGULAMENTO DO COLAR DA VITÓRIA, EVOCATIVO DO 80 (OITENTA) ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA

Artigo 1º - O Colar da Vitória, evocativo dos 80 (oitenta) anos da Revolução Constitucionalista, é instituído pela Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, e tem por objetivos homenagear personalidades brasileiras ou estrangeiras, bem como instituições que tenham colaborado para a divulgação de estudos relacionados com a nossa História e em particular àqueles que dizem respeito à gloriosa epopéia da Revolução Constitucionalista de 1932. Artigo 2º - O Colar da Vitória, evocativo dos 80 (oitenta) anos da Revolução Constitucionalista, é constituído: I - no anverso: escudo redondo de 20mm (vinte milímetros), campo de sable (preto) ao centro um capacete de aço, sobreposto a um gládio o todo colocado sobre uma coroa de louros, tudo de ouro (amarelo), orlado de ouro (amarelo) ostenta nesta uma inscrição em caracteres versais maiúsculos de sable (preto), na parte superior "VITÓRIA" separada por 2 (duas) estrelas de 5 (cinco) pontas da frase: "REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA 80 ANOS", suportado por um conjunto de 70mm (setenta milímetros) formado de 4(quatro) flores-de-lis de goles (vermelho) perfiladas de ouro (amarelo), dispostas em forma de cruz, intercaladas por 4 (quatro) folhas de acanto de ouro (amarelo), apresentando suas bordas em ouro (amarelo) polido, e partes internas de ouro (amarelo) fosco; II - no reverso: inscrito ao centro em caracteres versais maiúsculos o nome da entidade promotora: SOCIEDADE VETERANOS DE 32 - MMDC; III - o medalhão pende de uma fita de gorgorão de seda chamalotada de 40mm (quarenta milímetros)listada com as seguintes cores e proporções: a) no centro - preto, com 10mm (dez milímetros); b) ladeado por amarelo, com 5mm (cinco milímetros); c) ladeado por vermelho, com 10mm (dez milímetros). § 1º - Acompanharão o colar, a miniatura, a roseta, a barreta, o histórico descritivo e o diploma. § 2º - O diploma terá as características e dizeres a serem estabelecidos pelo Conselho do Colar. Artigo 3º - O Colar será concedido pelo Presidente da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, por provocação de qualquer membro efetivo e integrante das Diretorias Executivas em exercício, e aprovação do Conselho do Colar. Artigo 4º - O Conselho do Colar é formado e integrado por 5 (cinco) componentes, sendo 4 (quatro) personalidades escolhidas e indicadas pelo Presidente da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, e presidida por este último. Parágrafo único - As decisões do Conselho do Colar somente serão consideradas válidas, quando tomadas em conjunto em assembléia prévia e especialmente convocada, salvo questões de foro relevante. Artigo 5º - O Conselho do Colar se reunirá por convocação de seu Presidente, tantas vezes quantas se tornarem necessárias ao bom cumprimento de suas atribuições, incluindo a solução dos casos omissos deste regulamento. Artigo 6º - As propostas para a outorga do Colar serão dirigidas ao Conselho do Colar em requerimento especial, contendo as razões/justificativas acompanhadas do "curriculum vitae" do proposto. Artigo 7º - A aprovação das propostas se fará pela maioria dos votos dos membros do Conselho do Colar presentes, "ad referendum" do Conselho Estadual de Honrarias e Mérito. Artigo 8º - Os diplomas acompanhados do "curriculum vitae" do indicado serão encaminhados ao Conselho Estadual de Honrarias e Mérito para deliberação e registro. Parágrafo único - A recusa do Conselho Estadual de Honrarias e Mérito em registrar o diploma importará no cancelamento da indicação. Artigo 9º - A entrega da venera ocorrerá preferencialmente em solenidade especial, ou em ocasiões determinadas e consentidas pelo Conselho do Colar, mas obrigatoriamente realçando e valorizando a outorga e o fato histórico da Revolução Constitucionalista. Artigo 10 - Perderá direito ao Colar devendo devolvê-lo, juntamente com seus complementos, à Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, entidade promotora, o condecorado que praticar qualquer ato contrário à dignidade ou ao espírito da honraria, garantido o devido procedimento administrativo e assegurado pela Carta Mandamental - devido processo legal, amplo direito de defesa e os recursos a ela inerentes, dando-se por maioria absoluta dos votos de seus membros especialmente convocados para esse fim. Artigo 11 - Mantida a cassação do Colar e decorrido o prazo para interposição de qualquer ato recursal, a decisão será formalizada pelo Conselho do Colar. Artigo 12 - A medida de que trata o artigo 11 deste regulamento será determinada pelo Conselho do Colar, por maioria absoluta de seus membros, comunicando-se ao Conselho Estadual de Honrarias e Mérito. Artigo 13 - Na hipótese da extinção do Colar, seu cunhos, exemplares remanescentes e complementos serão recolhidos ao Conselho Estadual de Honrarias e Mérito, sem quaisquer ônus para os cofres públicos. Artigo 14 - O presente regulamento somente poderá ser alterado após a manifestação do Conselho Estadual de Honrarias e Mérito.

sábado, 24 de novembro de 2012

VOCE QUER ENTENDER A REVOLUÇÃO DE 1932 ?

Então veja os 4 videos nos links abaixo, nesta ordem.

http://www.youtube.com/watch?v=ybqXpoNJt2A

http://www.youtube.com/watch?v=O84_e2QsFLM&feature=relmfu
http://www.youtube.com/watch?v=TqEU6lf-Mp4&feature=relmfu

http://www.youtube.com/watch?v=P2WAxgfFFLU&feature=relmfu

Agora voce já consegue discutir com base firme a Revolução Constitucionalista de 1932 e já sabe porque ela é considerada um dos movimentos cívicos de maior importância no Brasil.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Nota de Falecimento

A Sociedade Veteranos de 32-MMDC  comunica com pesar o falecimento do Dr. HERNANI DONATO nesta data.
O velório será entre 16h às 20h, de hoje, na Academia Paulista de Letras e o sepultamento ocorrerá no dia 23 de novembro às 10h no Cemitério Gethsemani, Foi um dos maiores pesquisadores escritores a respeito da  Revolução de 1932 com livros publicados.

Sociedade Veteranos de 32 - MMDC
Rua Anita Garibaldi, 25 
Centro - SP - CEP 01018-020
11 3105-8541

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Bravos Paulistas, Revolução Constitucionalista de 1932 ( 4 videos imperdíveis sobre a Revolução de 1932)

Recomendo fortemente a todos paulistas e brasileiros.
Este é um documentário sério realizado pela equipe de jornalismo da TV Câmara (Jacareí,  São Paulo) relatando de forma didática e clara os fatos que suscitaram a Revolução de 1932. Conta nessa primeira parte com dois importantes depoimentos, sendo primeiro do Capital Gino Strufaldi, na época cabo do exército, voluntário e telegrafista em 1932,  e do Coronel de Reserva da PM e historiador Mário F. Ventura, que é também o atual Presidente da Sociedade de Veteranos de 1932 ao qual este núcleo está submisso.Vale a pena ver com atenção.

Passem o mouse no link abaixo e acesse o video 1/4

http://www.youtube.com/watch?v=ybqXpoNJt2A

A seguir o video 2/4  com novos depoimentos e historias. Veja a "matraca em funcionamento", essa engenhoca de fazer barulho nas trincheiras, o seu efeito dissuasivo foi reconhecido pois produzia o ruido de uma metralhadora. os que a ouviam pensavam que o poder de fogo dos paulistas era muito grande e evitavam avançar com as suas tropas. Hoje sabemos que havia falta de munição, armas, treinamento, etc pelo lado paulista, por outro lado sobejava patriotismo !!!

http://www.youtube.com/watch?v=O84_e2QsFLM&feature=relmfu

No Video a seguir novos depoimentos
A seguir o video 3/4


http://www.youtube.com/watch?v=TqEU6lf-Mp4&feature=relmfu

Finalmente a rendição dos paulistas e o depoimento de veteranos como o Sr. Alceu . Quando o jornalista perguntou: " Valeu a pena ?". Ele na sua simplicidade respondeu:
"Ah valeu, senão a gente tava na ditadura ainda ".

A seguir o último video 4/4

http://www.youtube.com/watch?v=P2WAxgfFFLU&feature=relmfu

http://mmdcsaopedro.blogspot.com.br/2012/11/bravos-paulistas-revolucao.html

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Nove de Julho ( Arlindo Barbosa)

Poesia extraída do periódico Caldas de São Pedro de 1936, arquivo do Museu de São Pedro.

De súbito estremece o coração da terra
De São Paulo desperta o Leão - cordeiro outrora !
O branco véu glacial da garoa descerra
E raspa no horizonte incandescente aurora !

São Paulo quer a lei custe-lhe a vida embora -
Certo de que o direito é o fim, o meio - a Guerra
E a luta é o sangue, é a dor, é a voz da mãe que chora
Em gritos de clarins correndo o vale e  a serra !

E como por encanto os batalhões em fila
Surgem do seio maternal, do solo augusto
Jurando a cada passo a vitória trazer

Acena-lhes de longe a certeza tranquila
De que jamais perece o desejo do justo
Lutando em todo São Paulo pela glória e o dever

Arlindo barbosa

" A Epopéia" ( Gustavo Teixeira)

A poesia abaixo foi composta pelo vate saopedrense Gustavo Teixeira em Julho de 1932, conforme hoje ( 18/11/12) verifiquei em um exemplar do jornal " Caldas de São Pedro", editado em 1936 no Museu de São Pedro. Aos que não se recordam  os combates começaram em 09 de Julho de 1932.Assim Gustavo Teixeira retratava a situação pelas notícias que lhe chegavam.

Á sombra do pendão de treze listas,
Os leões avançam eriçando as jubas,
Afeitos a batalhas e conquistas,
Querem, São Paulo, que mais alto subas !

Do plaino às serras de arrogantes cristas
Do Avanhandava às pratas de Braz Cubas
Troa o grito de guerra dos paulistas
Domina os ventos um clangor de tubas !

Basta de opróbio ! O forte não se abate!
Que a bandeira, alvinegra, que contemplo
De mãos postas, se tinja de escarlate

Sansão, sacode o jugo dos seus ombros !
Se livre ou morre , derrubando o templo,
Entre os incrédulos, no meio dos escombros.

Gustavo Teixeira faleceu em 1932 e foi substituido na função de tesoureiro da Prefeitura Municipal de São Pedro por meu pai e ex-combatente de 1932, Sebastião de Azevedo Aguiar que ficou na função até aposentar-se  em     meados dos anos 60. A Biografia do meu pai encontra-se neste núcleo, bastando usar a função "procura".

http://mmdcsaopedro.blogspot.com.br/2012/11/epopeia-gustavo-teixeira.html

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Marcas do passado:A Revolução de 1932 e São Pedro



 PREFÁCIOA

Felizmente, este livro trata São Pedro como uma cidade viva. Para tal, não dispensou o rigor que a boa historiografia deve observar. Sem desconsiderar as pistas recolhidas em fontes informais, seu autor foi além do “ouvi dizer”, das narrativas tradicionais sem confirmação documental. Investigou em jornais e documentos oficiais. Estudou outros pesquisadores respeitáveis. Sendo assim, vemos aqui dados precisos e confiáveis a respeito das origens e do desenvolvimento da municipalidade. As páginas a seguir tratam de recursos econômicos, das vias de comunicação e dos acontecimentos políticos. Articulam a história de São Pedro com os processos históricos da região e do País. São elementos decisivos para a compreensão das cidades. Porém, nestas páginas também estão presentes os homens que viveram em São Pedro, sentiram seus problemas, buscaram soluções, exprimiram sentimentos e formularam projetos para seu futuro. São fazendeiros, imigrantes, empresários, professores, literatos e muitos outros. Graças a eles, São Pedro é hoje mais que um lugar, um ponto no mapa, é uma experiência histórica em plena realização.

A REVOLUÇÃO CONTITUCIONALISTA DE 1932, EM SÃO PEDRO

A revolução Constitucionalista de 1932 foi uma explosão de civismo que tomou conta de todos os paulistas – e os são-pedrenses não deixaram por menos.
Todos se irmanaram no mesmo ideal: lutar por São Paulo e pela liberdade democrática.
Os paulistas tinham apoiado a Revolução de 1930, que preconizava um governo liberal. Mas foram enganados por Getúlio Vargas, que instalou no País um governo totalitário e antidemocrático. Ao perceber isso, afastaram-se do governo central, que passou a considerar São Paulo uma terra inimiga. Para conseguir apoio dos outros Estados, o Governo Federal espalhou falsos boatos. Dizia que os paulistas estavam revoltados porque tinham perdido o cargo da presidência. Espalhou também que os paulistas eram comunistas e que pretendiam separar-se do Brasil!
Ao contrário das outras revoluções ocorridas no passado, e que eram quase sempre separatistas, a de 1932 queria apenas uma Constituição democrática e liberal para todos os brasileiros, a legalidade, eleições livres e confiáveis e o voto secreto. Os boatos getulistas provocaram ressentimentos e medo nos irmãos de outras regiões. Todos vieram lutar contra os paulistas.
As lutas iniciaram-se aos 9 de julho. Todos se encorajaram: homens, mulheres, professores, estudantes, sacerdotes, magistrados, jornalistas e gente simples do povo. Até estrangeiros lutaram pela causa. Eram tantos os voluntários que os uniformes se esgotaram. Organizaram-se grupos de mulheres para a confecção de roupas, bandeiras e agasalhos. Pobres e ricos, patroas e empregados, todos unidos pelo mesmo ideal.
Em São Pedro, como em todas as cidades paulistas, logo após a eclosão do movimento revolucionário, realizou-se um comício na praça principal. Reunidos no antigo coreto, líderes locais esclareciam o verdadeiro sentido da Revolução ao povo ali presente. Tocados em seu brio, muitos se alistaram ali mesmo, logo após os discursos. Em poucos dias, São Pedro já contava com 27 participantes, que se dispuseram a partir para a luta em favor da grande causa paulista. Todos jovens, de diferentes profissões, porém com um único objetivo: lutar pela Constituição e garantir a democracia no País.
Interessante lembrar a figura singular de uma estudante normalista são-pedrense, a futura professora Ondina de Toledo Mendes. No comício a que nos referimos, no antigo coreto, ela fez um inflamado discurso que emocionou aos que assistiam.

Continuação: Revolução

O entusiasmo fez com que vários jovens se alistassem como voluntários. Ondina também se alistou como enfermeira. Mas, por determinação do Comando da Revolução, precisou permanecer em São Pedro como coordenadora, encarregada de arrecadar roupas, alimentos e remédios para os combatentes e suas famílias.
Dos 27 que se alistaram, 26 voltaram ao final da Revolução. Um deles não teve a mesma sorte. Faleceu durante os combates em Buri, onde prestava assistência aos feridos, uma vez que era farmacêutico formado. Ao socorrer um companheiro ferido, foi alvejado pelo inimigo. Seu nome: José Augusto Frota Escobar, trineto do Povoador de São Pedro.
Em 1982, no 50º ano da Revolução de 1932, os heróis foram homenageados com uma bela cerimônia, perto da Rodoviária. Ali foi erguido um marco, com os nomes dos rapazes.
O jornalista Pedro Paulo Penna Trindade escreveu no jornal O Estado de S. Paulo, em 2007: “há exatos 75 anos estourava a guerra dos paulistas, data que jamais poderá ser apagada do calendário cívico daqueles que amam a liberdade. O 9 de Julho servirá sempre como paradigma de patriotismo a todas as gerações futuras”.
Data que os são-pedrenses que amam a liberdade e a democracia não podem apagar de sua memória.

Homenagens aos Ex-Combatentes

- Antonio Costa Laranjeira            - Ataliba Piedade
- Ari Soares da Silva                   - Carlos da Silva
- Augusto Vieira Filho                          - Fernando Claro da Silva
- Geraldo Frota de Andrade          - Geraldo Carvalhaes Bastos
- Geraldo Pinto Toledo                          - João Batista Miranda
- Genésio Palmeira                      - Joaquim Norberto de Toledo Jr.
- Iraci de Almeida Leite                         - José Albino de Camargo
- Irineu Andrade Escobar             - José Augusto Frota Escobar
- Iguatemy de Castro                    - José Fracassi
- Henrique Gritti                                  - José Gonçalves Moral
- José Maria da Silva                            - Luiz Bonilha deToledo
- José Maria de Arruda Mendes      - Mario Abib
- José Manoel Vicente                            - Riciotti Betone Filho
- José Marques                                     - Sálvio de Souza Frota
- Kalir Farhat                                     - Sebastião de Azevedo Aguiar
- Luiz Borba                                       - Sebastião Marcondes César
- Orlando Claro da Silva
- Orlando Bottene
- Paulo Bontorim
- Sebastião Rodrigues da Silva
 

Luiz Francisco Albuquerque de Miranda
Historiador e Doutor em Filosofia

sábado, 10 de novembro de 2012

Fotos da comemoração dos 80 anos de 1932 no Ibirapuera SP

As fotos a seguir foram tiradas no último 09 de Julho de 2012 por ocasião da comemoração de uma data historica singular, a marca dos 80 anos da Revolução de 1932.Percebe-se que a festa foi muito concorrida e marcou seu lugar na história de São Paulo. Eu não estava porque assisti a comemoração em Piracicaba, igualmente muito bonita, onde recebemos o diploma Capitão João Rodrigues Gonçalves do Nucleo de Correspondencia Voluntários de Piracicaba
A seguir as fotos da comemoração em São Paulo:
                                             
                                                1_ Convite para a Cerimonia de Comemoração pela passagem dos
                                                80 anos da Revolução de 1932
O povo prestigia a cerimonia de 1932
O Governador Alckimin pretigia o evento
A cavalaria comemora 1932
O Governador cumprimenta um combatente vivo de 1932
Cadetes levam as cinzas de heróis de 1932 para o Mausoléo do Obelisco no Ibirapuera

A Polícia Militar desfila no evento
A Polícia Militar desfila no evento. 
Orquestra mirim prestigia os 80 anos de 1932.
Combatentes paulistas em uma trincheira em 1932, nos combates tombaram bem  mais de 1000 paulistas. Estatísticas oficiais reconhecem menos de 1000 vidas. Vejam mais informações em outras matérias nessa página.
                                                                         
http://mmdcsaopedro.blogspot.com.br/2012/11/fotos-da-comemoracao-dos-80-anos-de.html

sábado, 3 de novembro de 2012

Foto histórica com ex-combatentes de 1932

O meu pai ( Sebastião de Azevedo Aguiar) e o pai da minha amiga Maria Helena de Toledo ( Joaquim Norberto de Toledo), ambos falecidos, foram amigos por longo tempo e também ex-combatentes na Revolução de 1932. Por isso Maria Helena e eu ficamos muioto emocionados no último  09 de Julho de 2012 em Piracicaba quando tivemos  a honra de sermos fotografados junto de dois heróis vivos de 1932 ( 36 ainda resistem dentre os paulistas que lutaram em 1932). São eles: da esquerda para a direita
os ex-combatentes de 1932 Sr. Romeu Gomes de Oliveira e o Sr. Scar Antonio Bressan, sem dúvida uma das fotos mais signficativas das nossas vidas por tudo o que representa 1932 . Estes sim são os nossos heróis e podem ser considerados participantes do grupo mais seleto dos brasileiros mais patrióticos pois tiveram a coragem de por suas vidas em risco voluntariamente pela solidificação da democracia no Brasil.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Missa de Finados no " Obelisco" ( Ibirapuera)

Convido todos os amigos (as) para a Missa de Finados no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (OBELISCO), às 10h do dia 02 de novembro, o convite é extensivo aos familiares, amigos e toda a comunidade.
Conto com a presença de todos. 


MARIO FONSECA VENTURA
Coronel PM - Presidente
Sociedade Veteranos de 32 - MMDC
Rua Anita Garibaldi, 25
Centro - SP - CEP 01018-020
11 3105-8541

sábado, 27 de outubro de 2012

Comemoração da cessação de hostilidades da Revolução de 1932 e recebimento do Diploma General Brasilio Taborda

Na tarde de hoje no Museu Prudente de Moraes em Piracicaba estiveram presentes autoridades tais como o Presidente da Sociedade Veteranos de 1932, Coronel da PM Mário Ventura (reformado), o Presidente  da Câmara Municipal e altas autoridades da Polícia Militar. No evento foi reconhecido o sucesso da parceria entre a Sociedade de Veteranos de 1932 e seus núcleos de mais de 30 municípios, a Polícia Militar e a Câmara Municipal de cada localidade para a preservação dos ideais e valores de 1932. Contou coma presença do poeta Esio antonio Pezzato que declamou uma das joías do seu livro de poesias "Aprendiz da palavra", a ser lançado em 01/12/12 no C.C e Recreativo Cristovão Colombo. Foram condecoradas autoridades, militares e munícipes com  os diplomas de honra ao mérito General Brasilio Taborda e combatente Natal Meira Barros por haverem contribuido de forma significtiva    com a historia e a memória do Movimento de 1932. Dentre os condecorados eu e a Maria Helena de Toledo, Presidente  de Jaguariuna , tivemos a honra  de ser agraciados com o Diploma General Brasilio Taborda, abaixo.

Na foto 1 o Atual Presidente do núcleo de Piracicaba, Edson Rontani traz a sua palavra.  

  O diploma  Gal. Brasilio Taborda é concedido ao ex-presidente do nucleo de Piracicaba, o Tenente da reserva da PM e amigo Egydio Tisisiani, a outras autoridades, a Maria Helena Toledo e eu.

O Presidente da Câmara Municipal de Piracicaba recebe o diploma Combatente Natal Meira Barros .
O Major Palota recebe o diploma  Combatente Natal Meira Barros. 
A Major Adriana Cristina Sgrineiro Nunes recebe o diploma Combatente Natal Meira Barros.
O Capitão PM Willians de Cerqueira Leite Martins recebe o diploma Combatente Natal Meira Barros.

Victor Tsiani, meu amigo, recebe das mãos do seu pai o diploma General Brasilio Taborda a mim conferido Fui previamente convocado para umcompromisso prévio em  SPaulo no Mackenzie ( " Mackenzie day"".Fiz o que pude mas atrasei-me 40 minutos nesse evento, viajar respeitando o limite de velocidade também é um "valor" a ser seguido )
O Coronel Ventura traz uma palavra explicando aos presentes a importância da Revolução de 1932 e o papel dos núcleos ao divulgar e preservar os valores de 1932  

 Da esquerda para a direita Edison Rontani, atual Presidente do Nucleo Correspondência, Romeu Gomes de Oliveira, um dos dois combatentes vivos residentes em Piraaicab a, Anna Teresa, VP do Núcleo, a Diretora do Museu Prudente de Moraes, Maria Antonieta, o Coronel Mário Ventura e Egydio Tisiani, conselheiro do núcleo de Piracicaba.


O Major Palota da PM de  Piracicaba traz a palavra final congratulando-se e dando seu empenho em prol dos ideais democráticos defendidos na Revolução de 1932.

          A seguir os dizeres do diploma General Brasilio Taborda: " Ínclito Comandante do Exército Constitucionalista do Setor Sul,em cujo Quartel General  sediado em Itapetininga , no prédio do 8o Batalhão de Caçadores paulistas ( atual DER 2), comandou a defesa de São Paulo nas localidades de Buri, Itapeva, Capão Bonito, Guapiara, Vitorino Camilo Ribeira, Aracassú, Campina de Monte Alegre,Ribeirão Branco, Apiaí, São Miguel Arcanjo e Itapetininga, contra o avanço das forças adversárias, em muito superiores em recursos e efetivos, mas não na bravura e no idealismo, que os filhos deste pujante rincão do Estado de São Paulo demonstram na sua plenitude e souberam defender com o sacrifício da própria vida. 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

São Pedro tem agora núcleo de pesquisas


Notícia públicada no veículo "  A TRIBUNA"  em 20/10/12 divulgando a criação do
núcleo de pesquisas da Sociedade de Veteranos de 1932 - MMDC em São Pedro - SP  

sábado, 20 de outubro de 2012

SUMÁRIO

1-   Criacao  do Núcleo de Correspondência da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC  de Sao Pedro em 15-08/2012
2-   Responsabilidade-pelo-nc-de-sao-pedro
3-   Diretoria da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC (Sao Paulo)
4-   Procedimentos-para-associacao-sociedade
5-  Campanha-dos-500-associados-novos-para a Sociedade dos Veteranos de 1932-MMDC
6-  Os objetivos do nucleo de Correspondência
7-  Videos históricos relatam 1932 (links)
8-   Combatentes e colaboradores de 1932 por São Pedro
9 -  O Patrono José Augusto Frota Escobar, um herói com louvor em 1932
10-  Joaquim-Norberto-de-Toledo-Junior-combatente-de-32
11-  Sebastiao de Azevedo Aguiar-combatente-de-32 
12- A Revolucao Consttucionalista de 32 em.São Pedro
13- "Curiosidades sobre 1932"
14- A Revolução Constitucionalista de 1932 ( breve relato versão oficial)
15 - Fotos por ocasião da Cerimônia de Comemoração a Revolução de 1932 ( Piracicaba, 09/07/2012)
16- O-legado-dos-herois-de-1932-jp-09072012
17-  Voluntários de 1932: o Brasil tem seus heróis - JP em 09/07/2011
18-  videos-historicos-relatam-revolucao-de-32
19- o-ncspsp-por-unanimidade-indica-seu-patrono
20 - Criação da Universidade de São Paulo em 1934
21 - Carta de desagravo pelos ideais de 1932
22 - Video ilustrativo sobre a Revolução Constitucionalista de 1932
23 - Modelo de Honraria em Ladrilho para o túmulo do herói de 1932
24- Diploma de Honra ao Mérito José Augusto Frota Escobar
25 - A Revolução de 1932 por um jornalista e professor
26. Museus paulistas sobre a Revolução de 1932
27. Cerimonia de comemoração do armistício da Revolução de1932
28 - Arthur Friednreich, combatente de 1932 e ídolo no SPaulo FC
29- Revolução constitucionalista completa 80 anos e recebe homenagem
30. Matérias Publicadas pelo Núcleo

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Revolução Constitucionalista completa 80 anos e recebe homenagem em Jacareí


Como é de conhecimento geral as principais batalhas da Revolução de 1932 deram-se no Vale do Rio Paraíba ( SP). Várias cidades daquela região comemoraram com muito patriotismo a passagem dos 80 anos de 1932.  O Museu de Jacareí está realizando uma homenagem especial para os 80 anos da Revolução de 1932. Quem estiver por lá ou puder visitar, pode ver abaixo o link com endereço e horarios



 http://www.semanario.com.br/2012/07/06/revolucao-constitucionalista-completa-80-anos-e-recebe-homenagem/

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Cerimonia de entrega da Medalha Governador Pedro de Toledo ( Obelisco Ibirapuera) 02-10-2012

Cerimonia no Obelisco ( Ibirapuera) em 02/10/2012.

A seguir algumas fotos da Cerimonia de Entrega da Medalha Governador Pedro de Toledo em 02 de Outubro de 2012. Este dia marca oficiamente a data do armistício, o fim  da Revolução de 1932. Discursaram com igual brilhantismo três coronéis da Polícia Militar do Estado de São Paulo: o Cel Mário Ventura, nosso presidente ( Sociedade dos Veteranos de 1932), o Coronel Maurício e o Coronel Arruda, altas autoridades da Polícia Mlitar do Estado de São Paulo.
Os três foram unânimes quanto ao necessário esforço unido  para destacar e trazer à memória  de todos os brasileiros a alta relevância histórica dos valores e ideais democráticos de 1932. Os presentes ( como eu) foram convocados para unir forças nesse sentido. Destacou-se  a alta relevância patriótica e democrática da Revolução de 1932. Ali foi colocado por um dos oradores que uma meta mais palpável é a construção de um museu para o acervo de 1932.
Compareceram altas autoridades da Polícia Militar do Estado de São Paulo, um deputado estadual, diretores e membros da Sociedade dos Veteranos de 1932 e civis.
Foram premiados militares e civis, entre eles o nosso amigo Egydio J. Tisiani, que não podendo comparecer por motivo de enfermidade, fez-se representar pelo seu valoroso e dedicado filho Victor Tisiani.
A seguir algumas fotos do evento.

                                                    Victor Tisiani, Coronel Ventura e eu.
                                          O Coronel Mário Ventura traz sua palavra com o patriotismo
                                                    elevado que lhe é característico.


A causa é defendida com força por um Deputado Estadual

                                               Victor perfilado esperando a premiação

                                                        Victor aguardando a premiação

                           Victor já com a medalha do seu pai orgulhoso do dever cumprido.
O Victor é um filho com um caráter diferenciado: "é muita honra estar aqui disse-me ele com humildade".
Eu  posso dizer ao Victor: " aproveite o pai que voce tem, haverá um dia no qual voce deitará lágrimas pela sua ausência ao rever as fotos e desta certamente voce não se esquecerá jamais".


Ao alto da entrada do Obelisco ( Ibirapuera) despontam as palavras sábias do poeta sobre os mais de 800 combatentes cujos restos mortais ali acham-se ali depositados:

" Viveram pouco para morrer bem,
morreram jovens para viver sempre".

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Conheça os Museus Paulistas sobre a Revolução de 1932

Caros visitantes desta página

É com alegria que fortemente recomendo a todos visitarem a página do MMDC em Piracicaba , administrada pelo amigo Tenente da reserva Egydio J Tisiani. No link abaixo ele publica preciosa reportagem listando com detalhes, e ilustrando com fotos, os principais museus localizadoa na capital de São Paulo, que podem ser visitados e que possuem valioso acervo sobre a Revolução de 1932

 http://voluntariosdepiracicaba.blogspot.com.br/2012/09/conheca-os-museus-da-revolucao-de-1932.html

Atenciosamente

Joao Francisco de Aguiar

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A" Revolução 1932" por um jornalista e professor

Revolução Constitucionalista

Em 1932, São Paulo reage à ditadura

Alexandre Bigeli (jornalista e professor)
Da Redação, em São Paulo
UOL Educação (*)
Folha Imagem
Soldados da cavalaria rondam as ruas de São Paulo durante a Revolução Constitucionalista de 1932

No dia 9 de julho, o estado de São Paulo comemora o aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932. A data representa um marco importante na história do estado e do Brasil. O movimento exigiu que o país tivesse uma Constituição e fosse mais democrático.
Na época, Getúlio Vargas ocupava a presidência da República devido a um golpe de Estado, aplicado após sua derrota para o paulista Julio Prestes nas eleições presidenciais de 1930. O período ficou conhecido como "A Era Vargas". A Revolução Constitucionalista de 1932 representa o inconformismo de São Paulo em relação à ditadura de Getúlio Vargas. Podemos dizer que o Brasil teve quase uma guerra civil.
Uma das principais causas do conflito foi a ruptura da política do café-com-leite - alternância de poder entre as elites de Minas Gerais e São Paulo, que caracterizou a República Velha (1889-1930). Alijada do poder, a classe dominante de São Paulo passou a exigir do governo federal maior participação.
Como resposta, Getúlio Vargas não apenas se negou a dividir poder com os paulistas como ameaçou reduzir seu poder dentro do próprio estado de São Paulo, com a nomeação de um interventor não paulista para governar o estado. Os paulistas não aceitaram as arbitrariedades de Getúlio Vargas, o que levou ao conflito que opôs São Paulo ao resto do país.

Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, o MMDC

Vários jovens morreram na luta pela constituição. Entre eles, destacam-se quatro estudantes que representam a participação da juventude no conflito: Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, o célebre MMDC. O movimento marcou a vida de outros milhares de paulistanos e brasileiros.

Governistas X constitucionalistas

No dia 9 de julho, o Brasil assistiu ao início de seu maior conflito armado, e também a maior mobilização popular de sua história. Homens e mulheres - estudantes, políticos, industriais- participaram da revolta contra Getúlio e o governo provisório de São Paulo.
O desequilíbrio entre as forças governistas e constitucionalistas era grande. O governo federal tinha o poder militar e os rebeldes contavam apenas com a mobilização civil. As tropas paulistas lutaram praticamente sozinhas contra o resto do país. As armas e alimentos eram fornecidos pelo próprio estado, que mais tarde conseguiu o apoio do Mato Grosso.
Cerca de 135 mil homens aderiram à luta, que durou três meses e deixou quase 900 soldados mortos no lado paulista - quase o dobro das perdas da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.
Embora o movimento tenha nascido de reivindicações da elite paulista, ele teve ampla participação popular. Um dos motivos foi a utilização dos meios de comunicação de massa para mobilizar a população. Os jornais de São Paulo faziam campanha pela revolução, assim como as emissoras de rádio, que artingiam audiência bem maior.
Até hoje, a história da Revolução de 32 é mal contada. Ou, pelo menos, é contada de duas formas. Há a versão dos governistas (getulistas) e a dos revolucionários (constitucionalistas). Durante muito tempo, a versão dos getulistas foi a mais disseminada nos livros escolares do país, mas hoje, com uma maior participação dos professores na escolha do material didático,

A importância do movimento é incontestável. Seu principal resultado foi a convocação da Assembléia Nacional Constituinte, dois anos mais tarde.

Mesmo assim, a Revolução de 32 continua como um dos fatos históricos do país menos analisados, tanto no tocante às causas quanto em relação às suas conseqüências. Os livros didáticos ainda trazem pouco sobre o tema.

(*) Fonte: http://educacao.uol.com.br/historia-brasil/revolucao-constitucionalista-em-1932-elite-paulista-reage-a-ditadura.jhtm

Diploma soldado José Augusto Frota Escobar

Este diploma, já aprovado pela Sociedade de Veteranos de 1932, constitui-se na máxima honraria do Nucleo de Correspondência de São Pedro  e será uma forma justa de galardoar aqueles que colaborarem com os ideais da Revolução de 1932 e com o Núcleo de Correspondência por ocasião das datas comemorativas da revolução. São Pedro teve um herói maior em 1932, o soldado José Augusto Escobar, pois  conforme sua biografia aqui publicada, ele decidiu arriscar sua vida em combate ao lançar-se na batalha de forma corajosa para resgatar a vida de um amigo ferido e neste ato ambos faleceram. .Este ato de bravura confere alta significância ao diploma que leva o seu nome e aos   que o recebem.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ladrilhos comemorativos da Revolução de 1932

Abaixo um modelo de ladrilho que pode ser colocado no túmulo do "revolucionário" de 1932 de forma a honra-lo devidamente perante a sociedade.As letras em latim significam "
"Pelo Brasil se fazem grandes coisas".

domingo, 23 de setembro de 2012

terça-feira, 18 de setembro de 2012

CRIAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Criação da Universidade de São Paulo
Após a derrota da Revolução de 1932, São Paulo sentiu a necessidade de formar uma nova elite capaz de contribuir para o aperfeiçoamento do governo e a melhoria do país. Com esse objetivo um grupo de empresários fundou a Escola Livre de Sociologia e Política (ELSP), em 1933, e o interventor Armando Sales criou a Universidade de São Paulo (USP), em 1934. A ELSP desejava formar elites administrativas para os novos tempos, marcados por uma atuação crescente do Estado, enquanto a USP pretendia preparar professores para as escolas secundárias e especialistas nas ciências básicas. A sociologia norte-americana constituiu o modelo da ELSP. Já o perfil da Faculdade de Filosofia da USP foi influenciado pelo mundo acadêmido francês.
Professores estrangeiros como Roger Bastide, Emílio Willems, Donald Pierson, Pierre Monbeig e Herbert Baldus, entre outros, difundiram nas duas instituições novos padrões de ensino e pesquisa, formando as novas gerações de cientistas sociais no Brasil. A ELSP, a Faculdade de Filosofia da USP e o jornal O Estado de S. Paulo formavam o que o historiador Carlos Guilherme Motta chamou de "um tripé de sólido enraizamento cultural e político".
O entrelaçamento entre cultura e política também se fez sentir na criação do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo em 1935, pelo prefeito Fábio Prado. Nesse órgão trabalharam Paulo Prado, Mário de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Rubens Borba de Moraes e Sergio Milliet.
Outra conseqüência do projeto político-cultural que se desdobrou em São Paulo após a Revolução de 1932 por iniciativa tanto de instituições governamentais como de empresas privadas foi o notável crescimento da indústria editorial.

Fonte: CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil